FANDOM


Barraartigos

Os Simpsons: Era a noite de 17 dezembro de 1989. Na TV americana, a recém-criada rede Fox estreava seu primeiro desenho animado em horário nobre. Parecia um desenho comum: uma família engraçadinha - mãe, pai e três filhos - se metia em encrencas nos preparativos para a noite de Natal. Até o nome da série soava como repetição de Os Flintstones ou de Os Jetsons... Mas o cheiro de passado sumiu logo nos primeiros minutos. Estava na cara amarela, nos olhos esbugalhados e nas mãos de quatro dedos que aquele desenho era diferente: quando Marge promete levar os pedidos de presente dos filhos ao Papai Noel, Bart diz que "só tem um gordo que nos traz presentes, e o nome dele não é Noel". Homer, o gordo em questão, rouba a árvore de Natal da família do meio de uma floresta. Para descolar uns trocos, o paizão imita o bom velhinho num shopping e deixa o filho emocionado: "Você deve mesmo nos amar para descer tão baixo!" O humor politicamente incorreto segue por meia hora, mas nem tudo é riso: há suspense, emoção e até um final feliz (é Natal, né, gente?) - mas sem lição de moral. Não era um desenho comum. Era a estréia de Os Simpsons, o desenho mais importante de todos os tempos.

23 anos depois... e mais de 500 episódios. A série animada mais duradoura da história já faturou 18 prêmios Emmy, o mais concorrido da televisão americana, e foi aclamado como o melhor programa de TV no século 20, segundo a revista americana Time, em 1999. Transmitido em mais de 70 países, o desenho é só o produto mais visível de um arsenal multimídia de livros, DVDs, CDs e games que sustentam a simpsonmania no mundo (no quadro Mergulhe Nessa, a gente indica tudo que um fã dos Simpsons não pode deixar de ter).Temos até o longa-metragem que foi tão esperado.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.